nível acima | página inicial | mapa do site | links | e-mail


O Cristão e o Mundo

Sérgio Biagi Gregório

SUMARIO: 1. Introdução. 2. Conceituação. 3. Considerações Iniciais. 4. O Mundo: 4.1. Orbe Físico; 4.2. Algumas Conotações de Mundo; 4.3. O Mundo, na Linguagem Bíblica e Evangélica. 5. O Cristão: 5.1. Jesus Cristo; 5.2. A Doutrina do Cristo; 5.3. Algumas Instruções do Mestre. 6. O Apostolado: 6.1. O Discípulo ante a Opinião do Mundo; 6.2. A Busca da Estima do Mundo; 6.3. O Verdadeiro Apóstolo. 7. Conclusão. 8. Bibliografia Consultada.

1. INTRODUÇÃO

Como entender a citação bíblica que diz: "Estar no mundo sem ser do mundo"? Para essa compreensão, daremos uma idéia do que seja o mundo, o cristão e o trabalho do apostolado de Cristo.

2. CONCEITUAÇÃO

Mundo – orbe terráqueo; a parte do Universo habitado pelos homens. Cada planeta considerado como sendo habitado.

Cristão – Etimologicamente, a palavra cristão significa discípulo de Cristo e, dum modo geral, todo aquele que observa sua doutrina.

3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Jesus Cristo – o modelo de Homem – esteve encarnado entre nós e deixou-nos a sua doutrina de amor e de fraternidade. Porém, ao longo do tempo, esses ensinamentos foram transformados em guerras e antipatias entre povos e nações. Observe que o sentido original de sua doutrina foi esquecido por alguns, mal interpretado por outros e transformado em artigos de interesse próprio por uma grande maioria. Por esta razão ele prometera enviar um Consolador (já prevendo esses deslizes), no sentido de restabelecer toda a verdade e colocar cada coisa no seu devido lugar. O Espiritismo, que é o Consolador Prometido, veio no momento certo lembrar-nos do que Ele havia ensinado e acrescentar novas verdades para a época presente.

4. O MUNDO

Esta palavra é ambígua, porque envolta com muitas interpretações e versões. Para efeito de estudo, daremos algumas delas.

4.1. ORBE FÍSICO

Em nossa definição inicial dissemos que o mundo é o orbe terráqueo; a parte do Universo habitado pelos homens. Cada planeta considerado como sendo habitado. O mundo difere da palavra Universo. Este representa a soma de todos os orbes, de todos os mundos. "Com referência particular à Terra, assumiu uma acepção cada vez mais vasta, de maneira a compreender também todos os objetos celestes, cuja existência é revelada por qualquer meio. Só em época recente se reconheceu com certeza que existem objetos celestes independentes do grandioso aglomerado de estrela e de matéria nebular que faz parte do Sol, de maneira que tal aglomerado, que era antigamente considerado o Mundo, isto é, o todo, aparece hoje como um de tantos Mundos parciais, universos-ilhas, semelhantes entre si, que povoam o espaço e formam o Mundo maior". (Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira)

4.2. ALGUMAS CONOTAÇÕES DE MUNDO

Muitas vezes ouvimos falar sobre o mundo dos artistas, o mundo dos filósofos, o mundo grego, o mundo romano. Quando assim nos expressamos, estamos querendo mostrar um conjunto de idéias que se assemelham, formando um mundo restrito. Outras vezes nos referimos ao mundo íntimo, que expressa o conjunto de nossos sentimentos e emoções. Falamos também de um mundo agregador e de um mundo desagregador. A palavra mundo cão dá a idéia de um mundo em que o homem é lobo do próprio homem. Santo Agostinho distingue o mundo material e o mundo espiritual, quando escreve a Cidade de Deus.

4.3. O MUNDO, NA LINGUAGEM BÍBLICA E EVANGÉLICA

Na linguagem bíblica, emprega-se a palavra mundo para designar a Terra ou, em sentido mais geral, o conjunto da criação.

Na linguagem evangélica, principalmente aquela trazida por Jesus, o mundo é traduzido pelos prazeres que os bens materiais proporcionam ao homem. Jesus coloca os cristãos na mesma situação em que esteve, quando da sua passagem nesta Terra. Eles não são do mundo e contudo eles estão no mundo e Jesus não pede a seu pai que os tire do mundo mas apenas que os guarde do Malvado.

5. O CRISTÃO

5.1. JESUS CRISTO

Etimologicamente, Jesus vem de Jesoûs, forma grega do hebraico Joxuá, contração de Jehoxuá, isto é, "Jeova ajuda ou é salvador", e de Cristo, do grego Christós, corresponde ao hebraico Moxiá, escolhido ou ungido.

Jesus foi, segundo o Espiritismo, a Segunda Revelação da Lei de Deus. A Primeira Revelação nos foi dada por Moisés, consubstanciada nos Dez Mandamentos. Jesus Cristo resumiu os Dez Mandamentos no chamado 11.º Mandamento, que é "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo".

O cristão deve seguir os princípios da doutrina trazida por Cristo. Caso contrário, como poderá ser chamado de cristão? O Espiritismo nada mais fez do que relembrar o que o Cristo disse e exemplificou. Por isso, o termo Espiritismo cristão.

5.2. A DOUTRINA DO CRISTO

Jesus não nos deixou nada escrito. Tudo o que sabemos veio por intermédio de seus apóstolos, especificamente por Mateus, Marcos, João e Lucas, ensinamentos estes publicados muito depois de sua morte. O Evangelho quer dizer boa-nova. É nele que se encontram anotadas todas as recomendações para que cada adepto procure adaptar a sua vida à do Cristo, tido como o modelo perfeito do homem. Folheando as páginas desses evangelistas vamos encontrar muitos ensinamentos, entre os quais, que os seguidores de Jesus encontrariam muitas dissensões, incompreensões e perseguições por causa do seu nome.

5.3. ALGUMAS INSTRUÇÕES DO MESTRE

  • Ninguém acende uma lâmpada para pô-la atrás do armário, mas para pô-la no candelabro, a fim de que todos a vejam.

  • Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.

  • Se vossa mão é motivo de escândalo, cortai-a.

  • Amar ao próximo como a si mesmo.

  • Que aproveita ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?

  • Amai os vossos inimigos; bendizei os que vos maldizem; fazei bem aos que vos odeiam; orai pelos que vos maltratam e vos perseguem. Que vantagem há em amardes os que vos amam?

  • Ao que pleitear contigo e quiser o teu vestido, larga-lhe também a capa.

  • Se alguém vos bate na face direita, apresentai-lhe também a outra.

  • Que a vossa mão esquerda não saiba o que dá a vossa mão direita.

  • Honrai a vosso pai e a vossa mãe.

  • Não se pode servir a Deus a Mamon.

  • Não vim trazer a paz, mas a divisão.

  • 6. O APOSTOLADO

    6.1. O DISCÍPULO ANTE A OPINIÃO DO MUNDO

    O Espírito Emmanuel nos alerta que "quando o homem comum descansa nas vulgaridades e inutilidades da existência terrestre, ninguém lhe examina os passos. Suas atitudes não interessam a quem quer que seja. Todavia, em lhe surgindo no coração a erva tenra da fé retificadora, sua vida passa a constituir objeto de curiosidade para a multidão. Milhares de olhos, que o não viram quando desviado na ignorância e na indiferença, seguem-lhe, agora, os gestos mínimos com acentuada vigilância. O pobre aspirante ao título de discípulo do Senhor ainda não passa de folhagem promissora e já lhe reclamam espigas das obras celestes". Muitos aprendizes desanimam e voltam para o lodo, onde os companheiros não os vejam. (Xavier, 1973, cap. 102)

    6.2. A BUSCA DA ESTIMA DO MUNDO

    "Muitos discípulos, ciosos de suas predileções e pontos de vista, inquietam-se pelo reconhecimento público das virtudes que lhes exortam o caráter, guardando o secreto propósito de obter a admiração de todos e sentem-se prejudicados se as autoridades transitórias do mundo não lhes conferem apreço... Agem esquecidos de que o Reino de Deus não vem com aparência exterior; não percebem que, por enquanto, somente os vultos destacados, nas vanguardas financeiras ou políticas, arvoram-se em detentores de prerrogativas terrestres, senhores quase absolutos das homenagens pessoais e dos necrológicos brilhantes... O discípulo não pode ignorar que a permanência na Terra decorre da necessidade de trabalho proveitoso e não do uso de vantagens efêmeras que, em muitos casos, lhe anulariam a capacidade de servir". (Xavier, 1973, cap. 103)

    6.3. O VERDADEIRO APÓSTOLO

    "O Apóstolo é o educador por excelência. Nele reside o sacrifício total de si mesmo para que as mentes dos outros possa se desenvolver a contento. O legislador formula decretos que determinam o equilíbrio e a justiça na zona externa do campo social. O administrador coordena as atividades dos serviços terrestres. O sacerdote ensina ao povo as maneiras de fé, em manifestações primárias". O artista, o cientista, o médico, o guerreiro e o operário, cada qual na sua atividade, contribuem para o êxito econômico e social. "Os apóstolos, porém, são condutores do espírito. Interferem na elaboração dos pensamentos dos sábios e dos ignorantes, dos ricos e dos pobres, dos grandes e dos humildes, renovando-lhes o modo de crer e de ser, a fim de que o mundo se engrandeça e se santifique". (Xavier, s.d.p. cap. 58)

    7. CONCLUSÃO

    O Espiritismo, bem entendido, nada mais é do que o cristianismo redivivo, ou seja, do cristianismo explicado sem dogmas, sem rituais e sem interesse de qualquer natureza.

    8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

    GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA. Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, [s.d. p.]

    XAVIER, F. C. Fonte Viva, pelo Espírito Emmanuel. Rio de Janeiro: FEB, [s.d.p.]

    XAVIER, F. C. Caminho, Verdade e Vida, pelo Espírito Emmanuel. 6. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1973.

     

    São Paulo, 29/11/2005




    mapa do site | página inicial | pesquisa no site