nível acima | página inicial | mapa do site | links | e-mail


Lúcifer, Satã, Demônio e Inferno

1. LÚCIFER

 

Lúcifer - o Príncipe dos Demônios - não é referendado na Bíblia (VT e NT). Apresenta-se como  sinônimo de Diabo, Demônio e Satanás. Este nome surgiu na Baixa Idade Média, baseado numa divindade associada ao planeta Vênus. Os teólogos, para criar o termo, recorreram ao Livro de Enoque, considerado apócrifo, do qual restam vestígios na Bíblia, em Gênesis, 6.

"Lúcifer, produto da teologia cristã, foi associado aos "diabos" Satã, ao conceito de "demônio" dos gregos e ao princípio do dualismo Bem e Mal do Zoroatrismo, entre outras tradições".

 

2. SATÃ

 

Satã significa "o adversário", "o acusador". O termo "acusador" existia no Império Persa, cuja função era a de percorrer secretamente o reino e fiscalizar tudo o que estava sendo feito de mal no sentido de apresentar denúncias diante do Imperador, que mandava chamar os funcionários faltosos e os castigava.

Com a evolução da doutrina religiosa judaica, Satã acabou se convertendo, de um acusador dos pecados dos homens, num deus secundário, oposto a Javé. 

Satã não é Lúcifer. Ele não é um anjo que se revoltou contra o Senhor. Ele é apenas um acusador., ou seja, um dos olhos do Senhor, que anda pela Terra e comparece perante o Senhor para acusar.

 

3. DEMÔNIO

 

Demônio (daimon) é de origem grega e significa "gênio sobrenatural", "espírito", bom ou mal e, por vezes, designa um herói.

O termo demônio não é citado no AT, onde só aparece, nos últimos livros. Ele existe no Novo Testamento, onde os Evangelistas confundem os demônios com Satã. Quer dizer, o demônio só surge com a influência grega.

Para os gregos, os demônios significavam as almas dos mortos assimiladas às das divindades ... foram confundidas com as manes, os lares, os gênios latinos. Estas concepções penetram a Palestina. Com a vinda dos romanos, o Demônio grego transforma-se em Diabo, cujo significado passou a ser "espírito da mentira" ou "caluniador".

O Daimon grego passa a ser o Diabolus romano. Na Baixa Idade Média, o Diabolus romano ganha força. Como o Diabolus romano era um "espírito mau", passou a designar o espírito mau hebraico, Satã. Para explicar a sua presença como tentador do mundo, os padres da Igreja recorreram à lenda da revolta do anjo Azazel, dos Livros de Enoque, que eram apócrifos.

 

4. O INFERNO

 

O Inferno (inferus = o que está por baixo) da teologia cristã tem analogia com o "sheol" dos hebreus. É o local onde habita Lúcifer. Não há referência no Antigo Testamento. De modo que ele não existe de longa data.

O Sheol dos hebreus é apenas um local onde permanecem os mortos, todos os mortos que se transformam em rephaïm, ou seja,  "sombras". Na analogia cristã, transformou-se em mundos subterrâneos, onde habitavam as manes.

 

5. TERMOS CORRELATOS

 

1. Demonologia - ciência dos demônios. Trata das obsessões, possessões e loucura. Nesta rubrica fala-se, enfaticamente, do recenseamento e dos movimentos políticos na região do Inferno, criado por Deus especialmente para a morada de Lúcifer.

2. Demolatria - Culto ao Diabo

3. inquisição - Movimento iniciado em 1299 pelo Papa Gregório IX, cuja finalidade era coibir as atuações dos heréticos, ou seja, de todos os que se opunham aos dogmas da teologia cristã.

 

Fonte de Consulta

 

SAMPAIO, Fernando G. A História do Demônio : da Antiguidade aos nossos Dias. Porto Alegre: Garatuja, 1976.

 

Contribuição de Luciano Ribeiro (membro da GAE)

 www.apologiaespirita.org

 

LÚCIFER

 

Do Latim, lux fero= que traz luz, que dá claridade, luminoso. O versículo 12 do capítulo 14 de Isaías deu origem a palavra Lúcifer quando da tradução da Vulgata. Alguns teólogos citam ainda Ezequiel 37:2-11 , como referentes a ele. No entanto, nos textos da Bíblia hebraica e grega, esta palavra não aparece. Acompanhemos a tradução:

 

 

Texto transliterado

Eich nafaltá mishamaim heilel bem-shachar nigda ´ tá laárets cholêsh ` al goim.

Tradução literal

 

Eich= como; nafaltá= caíste; mishamaim= dos céus; heilel bem-sharchar= estrela filha da manhã, Vênus; nigda´tá= foste atirado; laárets= para a terra; cholêsh= vencer, vencedor; `al goim= sobre as nações; sobre os pagãos.

Tradução correta

"Como caíste dos céus, estrela filha da manhã. Foste atirado na terra como vencedora das nações".

Veja o texto grego em Isaías 14:12, que originou a palavra no latim (ro proi anatelon= nascida da manhã).

Veja o versículo no Latim onde São Jerônimo coloca a palavra Lúcifer: " quomodo cecidisti de caelo LUCIFER (astro brilhante, ou luz matutina) qui mane oriebaris corruisti in terram qui vulnerabas gentes". Como caíste de céu, ò estrela d'alva, filha da aurora! Como foste atirada à terra, vencedora das nações. (Isaías 14:12).

Assim fica constatado que o termo é latino, e lançado por São Jerônimo, quando fez a tradução da Bíblia grega para o latim (Vulgata Latina) no século III da era Cristã, em nada tendo a ver com o texto original. Alguns tentam ligar esta passagem ao Apocalipse 8,10 como sendo aí a queda de Lúcifer, mas a história de que seria o chefe dos anjos caídos, citados na II epístola de Pedro 2:4 e Judas 6, não tem fundamento comprovado no AT, como podemos observar.

O capítulo 14 de Isaías do versículo 3 ao 22 refere-se a queda e destruição do rei Nabucodonosor da Babilônia. Foram os padres e teólogos da igreja católica que lançaram o versículo 14:12 como sendo referente a queda do príncipe dos demônios Lúcifer.

 

Analisando as traduções Bíblicas Ed. Idea

Severino Celestino da Silva P 2001

 

(Org. por Sérgio Biagi Gregório)

 

Visite o site do Clube de Autores
e folheie o livro Leis Divinas ou Naturais,
por Sérgio Biagi Gregório

 

Faça Cursos 24h Online: Lista dos Cursos




mapa do site | página inicial | pesquisa no site